ALGUNS DOS TRABALHOS REALIZADOS POR FABIANO GUIMARÃES

  • Ao longo de mais de 10 anos, organização de encontros periódicos de intercâmbio de experiências com gestores profissionais das respectivas entidades: Fiesp/Ciesp (Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), AEAARP (Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de RP), PISO (Pólo Industrial de Software), ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Diretoria Regional de RP), SINDUSCON (Sindicato da Indústria da Construção Civil – Diretoria de RP), FUNDACE (Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia), INEPAD (Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração), FIPASE/SUPERA (Fundação Instituto Polo Avançado de Saúde/Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica), ACIRP (Associação Comercial e Industrial de RP), SINCOVARP (Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto e Região), CEISE-BR (Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis), AMCHAM (Câmara de Comércio Americana), SEST/SENAT (Serviço Social dos Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem dos Transporte), SESC/SENAC (Serviço Social do Comércio/Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), ACOMARP (Associação dos Comerciantes de Material de Construção de RP), Casa do Contabilista de RP (Sicorp, Aescon-RP, Sescon-SP), CRC (Conselho Regional de Contabilidade – Delegacia de RP), CORECON (Conselho Regional de Economia – Delegacia Regional de RP), ABAG (Associação Brasileira do Agronegócio), ETEC Paula Souza, SESI/SENAI (Serviço Social da Indústria/Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), ABRACE (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres), SEBRAE, minha querida FEARP/USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP-RP) dentre outras entidades;
  • Estruturação da primeira rede de Representantes Locais da Indústria pelo Ciesp, como base de apoio regional com empresários do setor industrial de Cravinhos, Orlândia, Batatais, Barretos, Brodowski, São Simão, Monte Azul Paulista, Bebedouro, Jardinópolis e Luis Antônio. Posteriormente, com a criação do Departamento de Ação Regional da Fiesp, foi facilitada a sinergia de trabalho entre as entidades;
  • Fundação dos Núcleos Temáticos do CIESP com responsáveis técnicos nas áreas de Comércio Exterior, Recursos Humanos, Jurídico, Tributário e Controladoria, Gestão e Estratégia, Meio Ambiente, Responsabilidade Social, Tecnologia de Informação e Inovação Tecnológica. Cada Núcleo reunia mensal ou bimestralmente média de 20 a 40 executivos de indústrias de mais de 20 sub-ramos industriais;
  • Apoio e participação nos estudos para viabilização de investimentos no ramal da rede ferroviária regional de cargas junto ao Deinfra (Departamento de Infraestrutura da Fiesp) e apoio à Câmara Municipal nos debates promovidos sobre o tema e organização de excursão/visita técnica ao Porto de Santos com mais de 40 executivos de Comércio Exterior das indústrias da região;
  • Coordenação de trabalho de pesquisa e visitas técnicas para viabilização de um Condomínio Industrial privado de grande porte em Ribeirão Preto, visando oferecer solução de relocalização para empresas industriais da própria cidade e região e atração de grandes projetos de investimentos multinacionais do setor produtivo para a cidade, aproveitando-se dos diferenciais competitivos da cidade. Nessa ocasião, visitei pessoalmente 7 empreendimentos no Estado de São Paulo, onde considerei o projeto mais adequado e de interesse local o projeto Brazilian Business Park de Atibaia. Depois de selecionado o projeto mais adequado, foram realizadas visitas dos diretores da Fiesp/Ciesp e empresários do segmento imobiliário de Ribeirão Preto com os proprietários do BBP. “Acredito ainda que Ribeirão Preto teria plenas condições de receber um projeto como este, com base nos estudos e depoimentos dos investidores;
  • Presença constante na imprensa escrita e televisiva abordando a necessidade de uma estrutura mais adequada na administração pública para apoiar o desenvolvimento econômico da cidade interligada com a região;
  • Realização de 2 eventos técnicos e inúmeras reuniões com especialistas e autoridades (Comitê de Bacia, ambientalistas, autoridades do DAEE) para levantamento de soluções para o grave problema do grande desperdício de água no sistema de distribuição estatal hoje realizado pelo DAERP. Até hoje não foi apresentado um plano de metas de redução de desperdício crível pela autarquia. Uma das melhores soluções apresentadas nos debates foi a concessão para a iniciativa privada do serviço de captação, tratamento e distribuição da água, para reduzir o desperdício, a corrupção e ineficiência de gestão atual do sistema causado por uma crônica ingerência política na administração da autarquia hoje responsável;
  • Participação técnica na audiência pública em Campinas no processo de Revisão Tarifária da área de abrangência da CPFL no Estado de São Paulo, onde eu representei a cidade de Ribeirão Preto juntamente com o Diretor do Ciesp, Eduardo Marchesi de Amorim, este representando a Diretoria Regional do Ciesp-RP. Foram várias reuniões de trabalho junto a técnicos representantes de outras empresas grandes consumidoras de energia do Brasil, sob coordenação técnica da Abrace (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres). Nossa participação foi contribuiu para o resultado de uma média de 20% de redução da tarifa média de energia da distribuidora. Neste processo pude aprender muito sobre como funciona o processo de concessão de serviços públicos e como se dá o processo de definição do sistema tarifário bem como a defender os interesses dos consumidores de serviços públicos;
  • Encontros periódicos em São Paulo com Representantes dos Postos do BNDES e encontros anuais de Representantes dos Postos do BNDES de todo o país no Rio de Janeiro, para troca de experiências sobre os problemas dos pequenos empresários na captação de crédito junto aos agentes financeiros repassadores de recursos do Banco para compra de máquinas e equipamentos, construção e ampliação de parques produtivos;
  • Realização da parceria entre o CIESP e o INEPAD (Instituto de Pesquisa em Administração) para elaboração de estudos e indicadores estatísticos sobre dados econômicos e contas públicas da região de Ribeirão Preto com o Prof. Dr. Alberto Borges Matias;
  • Realização ao longo de 10 anos de mais de cem treinamentos técnicos sob demanda customizada de diversos ramos industriais da região, com destaque para os ramos de Borracha e Látex, Sementes Forrageiras, Indústria Alimentícia, Máquinas e Equipamentos e Equipamentos Médico, Odontológicos e Hospitalares;
  • Acompanhamento do projeto do Consórcio de Exportação das Indústrias do setor de Equipamentos de Saúde (BHP – Brazilian Health Products) da Região de Ribeirão Preto, em parceria com a APEX (Agência Brasileira de Promoção às Exportações), Sebrae, ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) e SINAEMO (sindicato estadual do setor). O BHP até hoje é referência no MDIC;
  • Realização de diversos encontros com empresários para esclarecimento dos riscos e oportunidades sobre a adoção das novas normas internacionais de Contabilidade, o IFRS. Quanto maior o nível de adoração do IFRS entre as empresas da região, maior o potencial de geração de negócios de fusões, aquisições e consórcios com investidores externos. Reuniões com representantes das “Big Four” de Auditoria, para definição de prioridades nesse sentido;
  • Acompanhamento por mais de 10 anos com análise anual de todas as leis em tramitação no Congresso Nacional de interesse da indústria brasileira, com quadro de leis com potencial negativo, positivo ou neutro para o setor;
  • Relocalização da sede do Conselho Regional de Economia, Delegacia Regional de  RP (CORECON-SP) para atendimento em local mais apropriado aos economistas da região;
  • Apoio à realização de diversos encontros de economistas (empresários, executivos, professores e estudantes) para discussão de temas de interesse da região sob o ponto de vista do desenvolvimento econômico e preparação para o mercado de trabalho;
  • Apoio anual para a realização da Semana da Economia da FEARP/USP;
  • Acompanhamento e supervisão do projeto desenvolvido em parceria com o UNV (United Nations Volunteers Programme), Programa da Organização das Nações Unidas (ONU) de Voluntariado para as Metas do Milênio, onde participei dando suporte às discussões de escopo e execução dos trabalhos realizados por 2 voluntários internacionais (Suíça e Brasil) que ficaram sediados no CIESP-RP por um ano, mapeando as características da vulnerabilidade social de comunidades em Ribeirão Preto e o trabalho desenvolvido pelas entidades assistenciais do município;
  • Participação nas iniciativas de projetos culturais ligados à indústria cinematográfica em Ribeirão Preto: Projeto Cine Cidade, Reforma dos Estúdios Kaiser, Conselheiro do Núcleo de Cinema e apoio à Film Commission;
  • Desenvolvimento em andamento do Centro de Pesquisa em Finanças Públicas junto a professores da FEARP/USP para que Ribeirão Preto possa ter um centro de produção de análise comparada da qualidade dos gastos públicos (gastos x indicadores econômicos e sociais) entre cidades de porte similar a Ribeirão Preto, como Campinas, São José dos Campos, São José do Rio Preto dentre outras do Estado de São Paulo e posteriormente, no Brasil;
  • Participação em inúmeros Congressos Brasileiros e regionais de Economia no Brasil representando o CORECON-SP, Delegacia de Ribeirão, onde pude ter contato com diversas iniciativas regionais que poderiam servir de parâmetro para políticas de desenvolvimento econômico da região de RP e aperfeiçoamento da administração pública;
  • Coordenação pelo Ciesp, de levantamento de informações junto a inúmeros especialistas, diretores e professores de escolas públicas municipais (várias visitas técnicas realizadas in loco) sobre o processo de nomeação de diretores. Organizei vários encontros para discussão sobre o sistema de nomeação de diretores de escolas na rede pública municipal atual e opções diferentes do atual, que ainda é feito por meio de nomeações políticas. O debate girou em torno de duas alternativas: adoção de concursos públicos ou eleição pela comunidade escolar. E um dos encontros participou especialmente do debate o conhecido jogador de futebol Raí, como apoiador da ideia de não se indicar politicamente os diretores. Este debate ainda continua em aberto;
  • Planejamento e organização de dois grandes eventos técnicos com prefeitos e autoridades da região, com apresentação de indicadores comparados de desempenho da rede de educação básica das cidades;
  • Fundação do Núcleo de Desenvolvimento Social e Econômico, que depois se tornou independente como Sociedade da Frente Cívica;
  • Na Frente Cívica, como sócio-fundador, participei ativamente do fortalecimento dos Conselhos de Segurança da Comunidade, os CONSEGs de Ribeirão Preto, propondo melhoria na metodologia das reuniões, para que se tornem mais profissionais e efetivas. Especialmente nos da zona leste, sul, Bonfim Paulista, Centro e tentativas de fortalecimento dos da zona Norte e um novo para o Ribeirão Verde, por meio de inúmeras visitas às Bases de Polícia, Distritos Policiais e moradores mais engajados nos respectivos bairros onde o efetivo policial é ainda muito reduzido;
  • Coordenação dos trabalhos da Frente Cívica de mobilização para ativação do Conselho Municipal de Segurança, até hoje, com efetividade muito reduzida. Um CMS poderia ter um impacto muito positivo na melhoria do sistema de segurança pública de RP;
  • Participação por meio da Frente Cívica de requerimento junto ao MPE para que o sistema de Protocolo Central da cidade deixasse de cobrar para que o cidadão pudesse formalizar requerimentos. Até hoje o processo ainda precisa ser muito aperfeiçoado;
  • Coordenação de campanha diária ao longo de 1 ano, de combate aos terrenos baldios de RP, em parceria com o Jornal da Clube, onde mapeei, fotografei e documentei em todas as regiões da cidade, mais de 1000 terrenos com mato alto e calçada irregular na cidade, e protocolei no Ministério Público requerimento para que este entrasse com ação contra a prefeitura para que ela tomasse providencias efetivas para resolver o problema. Tive a oportunidade de aprofundar a análise do Estatuto das Cidades, principalmente no que se refere às ferramentas de planejamento urbano de estímulo ao uso produtivo de vazios urbanos;
  • Realização de diversos encontros com especialistas e autoridades que detém conhecimento sobre os motivos pelos quais em RP não existe uma correta destinação dos entulhos da construção civil e de forma geral, as dificuldades para implementação do Plano Municipal de Saneamento Básico;
  • Participação em inúmeras audiências públicas sobre o Plano Diretor e realização de diversos encontros com urbanistas, arquitetos e engenheiros ambientais do Conselho Municipal de Urbanismo para discussão dos prazos adequados de análise das peças complementares (as peças do Plano Diretor, elaboradas pelo Poder Executivo não são enviadas dentro de prazos adequados para análise das entidades profissionais do setor antes de serem votadas pela Câmara Municipal);
  • Organização da campanha liderada pelo Ciesp: “20 Vereadores Bastam para Ribeirão”, que tinha o objetivo de manter o número de vereadores em 20 em Ribeirão, quando queriam aumentar para 27. Na última legislatura, conseguimos que aumentassem somente para 21. Como executivo do CIESP, coordenei do início ao fim, as ações de elaboração de campanha televisiva no Sistema Clube de Televisão (emissora Bandeirantes) e, juntamente com meus Diretores na época, a articulação entre o empresariado e outras entidades que vieram se juntar à Campanha, como a ACIRP, a OAB e outras entidades até o trabalho operacional em campo, na coleta de assinaturas onde, nessa fase, já passamos a contar com o apoio mais forte das demais entidades;
  • Participação em diversas Comissões Locais de Saúde, visando compreender melhor os problemas dos postos de saúde, conforme depoimentos dos próprios funcionários, agentes comunitários de saúde que participam do Programa  Estratégia de Saúde da Família, enfermeiras e médicos. Análise dos documentos legais sobre as competências e capacidade de ação efetiva dessas Comissões;
  • Apoio na criação e consolidação do Conselho Municipal de Combate às Drogas – COMAD, indicando especialistas membros da Frente Cívica para compor o Conselho e sempre monitorando suas ações, principalmente a que se refere ao combate à venda de bebidas alcóolicas em estabelecimentos sem alvará para essa atividade;
  • Envolvimento permanente nos assuntos da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEARP/USP). Sou membro efetivo do Conselho de Alunos e Ex-Alunos da FEARP/USP, convidado em 2015 pelo Prof. Dr. Dante P. Martinelli, Diretor da FEARP/USP. O objetivo é identificar ações que mereçam maior dedicação por parte das Coordenações dos Cursos e gestão da unidade.

- Copyright © Fabiano Guimarães